sábado, 13 de novembro de 2010

O limite da exposição

    Antigamente, quando alguém queria expor suas idéias,escrevia algo num papel, formulava um discurso ou simplesmente organizava uma linha de raciocínio. Fazia algo que chamamos de “rascunho”.

    Com a explosão de novas tecnologias e das redes sociais na internet, este antigo “rascunho” que fazíamos (ainda que mentalmente) começou a ser ignorado. A informação é distribuída quase que na mesma velocidade do pensamento. O “twitter”- rede social e servidor para microblogging- se mostrou a ferramenta mais eficiente para isso. As atualizações do usuário são exibidas em tempo real para os usuários que o “seguem”.
   O que antes era exclusividade de famosos, agora se estende a todas as camadas da sociedade: todos podem ter suas vidas expostas. Seguindo o slogan do “What´s happening?” (“O que está acontecendo?”), pessoas de todo o mundo compartilham seu dia-a-dia e suas emoções com seus “seguidores”, sejam eles conhecidos ou não.
   Não há limites para a exposição. As emoções não são mais filtradas, antes de serem expostas. Aquele velho hábito de “deixar a poeira baixar” já não existe. Como seres humanos, estamos diariamente suscetíveis às mais bruscas mudanças de humor e isso antes era particular. Agora não. Já se traça todo o perfil psicológico de uma pessoa através de poucas linhas de uma página da internet.
    Não há mais surpresas, não há maiores expectativas em saber a novidade da vida de um amigo.

“- O João passou no vestibular, sabia?”

“- Sim, há muito tempo! Eu o sigo no twitter...”

    E dessa forma, vamos perdendo a tão especial trivialidade das emoções. Aquele abraço efusivo de um parabéns dado pessoalmente, aquela conversa entre amigas que começa com as novidades de dois meses atrás, aquele encontro no supermercado em que se pergunta como anda a vida....Enfim, coisas de valor, perdem seu encanto.
    Eu não sou contra a utilização de redes sociais. Eu possuo um perfil em cada uma das mais utilizadas! Se utilizado como ferramenta de aproximação e de conexão, elas podem ser muito úteis e divertidas. O que me incomoda é a exposição em demasia.
    Cristão, você precisa refletir sobre suas emoções antes de expô-las. Isso faz parte de um caminho de crescimento e maturidade na fé. Sempre fez!!! Thiago 3:2 diz que “Todos nós sempre cometemos erros. Quem não comete erro no que diz é uma pessoa madura, capaz de controlar todo o seu corpo”. Além de ser um cuidado naquilo que se refere à edificação do seu irmão, refrear a língua é uma questão de saúde espiritual!
    Pense antes de escrever. Você é um formador de opiniões, ainda que não saiba disso. Se você se declara cristão não pode viver de maneira que seus “seguidores” entendam : “Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”.
     Não exponha aquilo que é precioso para quem você não conhece de verdade. Quanto maior o valor de um tesouro, mais escondido ele está.
     Lembre-se: você foi chamado para declarar boas-novas, para amar seu irmão e edificá-lo.

“Porque as pessoas que vivem de acordo com a natureza humana têm a sua mente controlada por essa mesma natureza. Mas as que vivem de acordo com o Espírito de Deus têm a mente controlada pelo Espírito.” Romanos 8: 5


Por Amanda Prazeres

Um comentário:

  1. Amanda esse texto ficou a tua cara.
    Lembro-me das nossas conversar a respeito e vejo bom senso em cada palavra tua.
    Você me surpreende. Suas idéias, seu caráter, seu senso de lugar,tempo e espaço.
    Também, pensamentos vindos de você não poderiam ser diferentes.
    Muito bem, continue assim... E só tende a melhorar!



    XOXO

    ResponderExcluir