terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Uma palavra aos adolescentes

                Me senti uma verdadeira anciã ao começar esse texto. Parece que faz tempo que sai da adolescência e que sou uma adulta muito experiente. Mas que fique claro que não sou. Tenho 18 anos e vivi essa fase recentemente. É certo que sempre fui precoce e sai dela mais cedo que o normal, mas vivi essa fase cheia de tantos conflitos a não muitos anos atrás.
                Escrevo hoje, porque me preocupo. Me preocupo com uma geração que tem as mesmas dúvidas que eu tive, mas nem sempre escuta respostas de quem convém escutar.
                Eu queria escrever a muito tempo, mas confesso que não sabia por onde, nem porque começar. Agora, humildemente, peço que a graça de Deus me dirija naquilo que eu disser e que, se houver alguma verdade nisso, você me dê ouvidos.
                
             Eu estou em várias redes sociais e diariamente vejo as atualizações de muitas pessoas. Algumas delas amigos, familiares, pessoas da igreja e claro, pessoas que não conheço, ou melhor, pessoas que até conheço, mas não possuo nenhum vínculo de amizade. Dentre todas essas pessoas, existem algumas que “conheço” há mais tempo. Vi a versão de três anos atrás dessas pessoas e agora vejo a versão 2011. Vi a versão infantil dessas pessoas e agora vejo a versão jovem.
                Não estou estabelecendo julgamento sobre ninguém, até porque não tenho mérito nenhum pra fazer isso e cabe somente a um Juiz julgar as pessoas, mas fico triste por ver inúmeros jovens que cresceram comigo na Rede de Adolescentes na Lagoinha, jovens que estudaram comigo, jovens que trilharam caminhos próximos a mim, vivendo hoje como se Deus nunca tivesse existido. Não, não estou dizendo isso baseada em critérios que “super-crentes” usam pra julgar as pessoas. Não estou falando de legalismo, de “não podes”, de regras e de outras pedras que muitos usam pra atirar nessas pessoas. Não estou falando de “não pecar”, porque isso, ninguém é capaz de fazer. Estou falando de TEMOR, de crença num Deus vivo.
                Eu não fico tentando descobrir o porquê de tudo isso. A bíblia é clara em dizer que todos estão propensos a cair, mas fato é, que uma vez que alguém experimenta verdadeiramente da graça que há em Jesus Cristo, é quase inaceitável que este alguém pule fora.
                Mas vamos à razão pela qual escrevi este texto ...
                Eu lembro que quando estava na Rede de Adolescentes, ouvia o Kaiser e o Bruno falando de pessoas que “pulavam fora” depois que entravam na juventude. Pessoas que se desviavam após entrar na faculdade e outras que por causa de um namoro, abandonavam a fé. Aquilo pra mim era inacreditável , algo que deveria ser uma exceção à regra. Doce ilusão. Foi necessário pouco tempo pra perceber que aqueles que permaneciam é que eram exceção. Tinham aqueles que permaneciam na igreja, mas que estavam longe da Fé há muito tempo. No meio de tudo isso, eu ficava imaginando em qual dos grupos eu iria entrar e qual grupo meus amigos escolheriam.  Ficava imaginando o que fazia as pessoas permanecerem e o que fazia elas se afastarem.
                Por que estou contando isso? Porque sei que entre os meus leitores, existem muitos angustiados pela incerteza de suas certezas...
                Gostaria de deixar uma mensagem simples , especialmente aos adolescentes: Quem opera a salvação e nos faz querer viver em Sua presença, é o próprio Deus. Parece óbvio, mas não é. Durante muito tempo, tentei “colaborar” com Deus, ainda que inconscientemente e isso me trazia um desgaste enorme, pois é um fardo pesado. Quem tem agido assim , sabe bem o que eu quero dizer...
                Outra coisa: Dizer que o mundo é mais interessante, é estratégia mais velha que andar pra frente , do diabo, pra tentar nos desviar do foco , e dizer que você nunca vai desfrutar coisas boas nesse mundo, servindo a Deus, é o complemento dessa mentira. Nós somos o povo mais feliz da Terra! Somos o povo mais completo, com mais motivos pra se alegrar! Quais os motivos? São tantos , que vou contar em outro post! E lembre-se: tudo que o mundo tem dito que é o bom e o agradável , tem se mostrado muito falho. Pergunte pra qualquer “desviado” (acho esse termo horrível, mas enfim...), se ele encontrou aquilo que buscava.
                Você, adolescente crente, terá que escolher entre duas portas e dois caminhos: Um deles é espaçoso e muito atraente, “e por essa porta, muitos são os que entram”. O outro é estreito, apertado e muitas vezes não dá pra levar na “mochila” tudo que gostaríamos. Nesse segundo caminho, a gente tem que se despedir de algumas pessoas e abandonar algumas coisas. Não há promessas de alegria, prosperidade, luzes, fama e o que você quer, nem sempre será o que vai receber (Esse assunto também fica pra outro post!). Mas se a minha experiência vale de alguma coisa, afirmo: É o melhor caminho que alguém pode escolher. Como alguém me disse... “Pelo menos temos companhia nesse caminho” ,e afirmo também, é essa Companhia que faz toda a diferença.
                Você não vai andar sozinho, você não vai andar em vão, muito menos vai correr atrás do vento. Há uma “multidão de testemunhas” que podem comprovar o que digo.
                Se você tem sido desmotivado por aquilo que tem visto em sua geração, eu oro pra que Deus renove no meu e no seu coração um espírito inabalável e nos torne autênticos discípulos. Só Deus é capaz de gerar isto em nós.
                Seja corajoso! Seja ousado! E como dizia o Kaiser: “Loucura, é viver fora da vontade de Deus.”.

2 comentários:

  1. Nossa, Amanda, q texto maravilhoso!!!
    com sua permissão, queria mandá-lo pra um amigo, posso? Claro q vou falar q o texto é seu, e colocar o endereço do blog... hehe
    Deus continue te abençoando, falando ao seu coração, e te usando pra abençoar outras vidas!

    ResponderExcluir
  2. Hellen, fique a vontade pra usar o texto!
    Fico feliz por ter falado com vc!
    E amém!!! Que Ele nos capacite a ser instrumentos em Suas mãos!

    ResponderExcluir