sexta-feira, 29 de junho de 2012

Resposta ao pastor


Prezado pastor,

  Vi esses dias sua entrevista na TV, dizendo que está preocupado com um fenômeno que está acontecendo na igreja: meninas crentes buscando relacionamentos seculares. Realmente, pastor, a coisa está séria e a gente sabe que buscar julgo desigual não vai adiantar. Como vi que o senhor parece estar realmente preocupado com isso e procura entender o fenômeno, decidi ajudar o senhor.
   Em primeiro lugar, o senhor precisa ter uma conversa séria com as suas ovelhas. Ou melhor, antes disso, precisa separar as ovelhas dos lobos porque eu acho que eles ainda estão muito misturados. Depois que o senhor as separar, é bom lembrar às ovelhas o significado de ser cristão. Elas estão muito esquecidas, pastor! Esqueceram-se do sentido de santidade e acham que podem ser iguaizinhos aos homens do mundo. Agem da mesma forma, falam dos mesmos assuntos, vivem segundo as leis deste século, veem as mesmas coisas e ainda querem que a gente os ame incondicionalmente. Temos que ser princesas para sapos.
  Em segundo lugar, o senhor precisa ensinar às ovelhas que o mundo não é um açougue. Sim, porque algumas delas estão nos vendo como um pedaço de carne. Acham que a gente não percebe os olhares mal-intencionados, acham que a gente não sabe o que veem quando estão sozinhos, acham que a gente não vê a malícia escondida em seus corações. Diz a eles, pastor, que o que a boca não fala, o olhar demonstra e o olhar deles sobre as mulheres não está em nada parecido com o de Jesus.
   Uma terceira dica, senhor presbítero, é contratar um professor de etiqueta para suas ovelhas. Seria interessante que eles tivessem um vocabulário menos grosseiro, que não falassem tão alto em lugares públicos, que não cuspissem perto da irmãzinha, que se vestissem de forma adequada…enfim, que agissem de acordo com a idade descrita em seu RG. Isso seria realmente maravilhoso. 
   Em quarto lugar, seria interessante dizer aos homens de seu rebanho que as mulheres já conquistaram alguns direitos e, dentre eles, está o de escolher com quem vai se casar. Dito isto, é bom reforçar que a gente escolhe mesmo e não adianta achar que vamos escolher qualquer coisa. Suas ovelhas parecem estar em estado de letargia, achando que mulher cai do céu. Algumas até caem, mas são iguaizinhas a um certo anjo caído. 
   É interessante lembrar, que alguns papéis são irrevogavelmente masculinos e que nós não estamos a fim de cumprir. (Mesmo porque, Deus não aprova que cumpramos.) 
   As mulheres cristãs também precisam de uma boa conversa. A desilusão e a falta de perspectivas têm feito-as buscar caminhos errados. A conversa dos homens seculares tem sido iguais ou até mais doces que as dos que se denominam cristãos.  Alguns deles, nos tratam melhor e nos valorizam mais do que os crentes. É uma via que está com a sinalização errada, pastor: enquanto os que não conhecem a Cristo, valorizam as cristãs, os que O conhecem estão querendo provar daquilo que não vem dEle. Pode ser chocante pro senhor, mas é a verdade… 

   Por fim e mais importante que tudo que disse, espero que o senhor relembre o que Jesus deixou de exemplo em seu relacionamento com as mulheres. Ele tratou até as mais infames com o mais genuíno amor. Lembre-os que Jesus Cristo é o nosso padrão para julgá-los e este padrão é elevado. 
  Se serve de estímulo, posso dizer que as mulheres ainda têm esperança de encontrar um homem segundo o coração de Deus e apesar de todos os esforços do mundo, algumas têm se mantido fiéis ao maior Merecedor do nosso amor. 
 Eu acredito e busco um padrão de família segundo o coração de Deus e sei que outras também buscam. Só peça a suas ovelhas pra não nos deixarem esperando muito tempo…

  Espero que esta carta responda alguns de seus questionamentos no programa de hoje. Espero também, que consiga promover mudanças em seu rebanho.

   Que o Senhor o abençoe nessa difícil tarefa!

                                    No amor de Cristo,

Nenhum comentário:

Postar um comentário