sábado, 20 de outubro de 2012

Complexo de Amanda

Lembro que uma vez estudei em Biologia um tal de Complexo de Golgi. Não lembro exatamente o que isso quer dizer, mas sei que fiquei impressionada e com inveja de alguém que tem um Complexo pra chamar de seu.
Isso porque já desisti de me conhecer e sugiro que ninguém tente fazê-lo, porque pode acabar se decepcionando.
Eu sou e não sou ao mesmo tempo, estou e não estou de um segundo ao outro. ( Caetano canta  "You don´t know me" na minha playlist agora. Nada mais propício. )
Claro, tenho aprendido a reconhecer minhas maiores  limitações, meus defeitos de fábrica e aqueles que eu adquiri ao longo dos últimos anos e a utilizar mais daquilo que tenho como "plus". Mas é difícil.
Descobri que sou mais inconstante do que gostaria. Queria ser mais plena, mais óbvia, mais previsível.
Mas aí não seria eu. Aí não seria a minha história. Aí não seria o mesmo mundo meu , que em tantas voltas me fez o que sou hoje.
Agora Ana Carolina canta " quem sabe isso passa, sendo eu tão inconstante"...
Mas não vai passar, Ana. A gente vai continuar sendo assim.
Meu mundo não é estático, portanto não posso ser.
De todos os planos que traço, a maioria eu alcanço, mas por um caminho que GPS nenhum consegue guiar. São caminhos que Deus queria que eu passasse e me levou voluntária e involuntariamente ao mesmo tempo.
Caminhos lindos que eu nunca encontro palavras suficientes para agradecer e que tornaram ainda maior a minha complexidade.

Por isso, digo: Não se espante por eu mudar tanto. Alguns dias, "eu quero sair só", outros, "eu só quero que termine bem", mas tem aqueles em que "eu preciso te encontrar de qualquer jeito".

Eu ainda tô aprendendo a observar o "rio por onde a vida passa", mas sei que não posso viver como "alguém que só espera um novo amo".

"Já deu minha hora e eu não posso ficar." Hoje eu ainda quero sair só, porque sei que diante de mim caminhos ainda não desvendados estão chegando.

E dessa forma eu vou vivendo....

Aprendendo, simplificando, mas, na maior parte das vezes, complexificando.







Nenhum comentário:

Postar um comentário