quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Para os "manifestantes de cadeira"

Texto que publiquei no meu Facebook e que gostaria de compartilhar com vocês também. A linguagem não é tão elaborada como a que uso no blog e têm tempos que quero escrever sobre isso aqui, mas como sempre esqueço, transcrevo as palavras que compartilhei no meu perfil. 
"Outro dia postei um texto aqui, mas decidi postá-lo em um grupo fechado, porque talvez nem todos entendam o que quis dizer. Ninguém me declarou advogada de ninguém e independente de qualquer predileção minha, gostaria de chamar atenção pra algumas coisas. O Facebook é uma ferramenta poderosa, tanto pro bem quanto pro mal. Através dele, temos visto muita coisa boa acontecendo, gente se ajudando, pessoas se reencontrando e muita informação sendo compartilhada instantaneamente. Nesse último fato, reside o problema. Tenho visto "manifestantes de cadeira", aquelas pessoas que não saem da frente do computador, que nunca vão à uma manifestação ou acompanha os fatos fora do Facebook, levantando bandeiras absurdas e um monte de gente indo atrás, como se o que essas pessoas dizem fosse muito inteligente. 
O primeiro fato que me chamou a atenção foi uma foto pedindo pra Ivete Sangalo devolver o dinheiro de um show, como se ela tivesse roubado o que recebeu. Como falei antes e algumas pessoas leram, eventos patrocinados com dinheiro público não são novidade no Brasil e nos últimos tempos as principais atrações desses eventos são artistas "gospel", então antes de sair por aí atirando pra todo lado, muito cuidado com o famoso "telhado de vidro". O Ciro Gomes deve ter ficado eufórico, porque todo mundo esqueceu que quem contratou e pagou foi ele e, ao invés de fazer uma campanha do tipo "Invista nas coisas certas, Ciro Gomes", todo mundo foi em cima da artista. Grande mudança teremos no Brasil se a Ivete devolver esse dinheiro! De qualquer forma, comecei a perceber uma agressividade nas redes sociais que beira a selvageria. Ninguém mais questiona fontes, procura ouvir os dois lados, ou está interessado em saber a verdade. Acho que o que tá importando é fazer a imagem de quem se importa com o mundo.
Tudo isso já me assustava, até que veio a tragédia em Santa Maria. O sensacionalismo já era esperado e eu sei que quando acontece uma tragédia, achar um culpado pra odiar sempre nos conforta. O que não esperava é que as pessoas fossem chegar ao ponto da falta de humanidade. Familiares dos músicos que tocavam na Boate Kiss recebendo ameaças, seguranças sendo apontados como os culpados e a presidente recebendo ordens para "engolir o choro" diante da tragédia. 
Eu confesso que essas coisas estão começando a me assustar. Eu não tenho nem o que dizer diante desses últimos fatos e textos que já vi rodando por aí. Só sei que me assusta e espero que eu e as pessoas que conheço, nunca sejamos vítimas de uma mídia mal desinformada ou de pessoas que levantam bandeiras sem nem saber por quê. 
Se for pra mudar o mundo, me chama que eu vou junto, mas não comecemos antes de saber porquê."

2 comentários:

  1. As pessoas querem apresentar a imagem do que não são, falar sobre o que não sabem. Então pra algumas pessoas qualquer pontinha de iceberg que elas vejam já julgam como iceberg inteiro. Se mantém na superficialidade, acusam todo mundo, vão na onda de maria vai com as outras. Olha a superfície, a parte mais rasa do acontecimento, matéria, assunto e não se preocupam em estudar, em verificar, como se tudo que estivesse na rede fosse real, justo. Concordo com o que você escreveu. O facebook é uma arma poderosa e pode ser utilizada de uma forma sensata e útil ou de uma forma estúpida.

    www.eraoutravezamor.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Vivemos no mundo do egoísmo, no mundo onde atiram pedras, ao invés de flores, onde as pessoas se unem para odiar ao invés de compartilhar o amor. É triste, frio e superficial, assistir pessoas sendo sensacionalistas sem fundamento, se julgando "donos da verdade" e se comportando como bossais.

    Beijos, sua colocação foi sensata e muito bem escrita.

    ResponderExcluir