quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Interpretação livre de "Soneto de Fidelidade"

Interpretação livre do "Soneto de Fidelidade" de Vinícius de Moraes, por Amanda Alves.


"De tudo ao meu amor serei atento"

Isso quer dizer: estarei atento ao meu amor. Não deixarei de olhá-lo nos olhos no meio de uma conversa pra checar o celular. Não deixarei que as distrações no entorno, me impeçam de prestar atenção no que ele diz. Estarei atento a sua realidade e não apenas a minha.

"Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto"

Isso quer dizer continuidade. Cuidarei do meu amor como que de uma flor. Regarei diariamente e cuidarei com o mesmo carinho de sempre.

"Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento".

Isso quer dizer que outras coisas poderão me encantar ao longo da vida e talvez eu pense em me desencantar deste amor. Mas eu lutarei para que ele sempre exista e meu pensamento sempre dará predileção àquele encanto que escolhi.

"Quero vivê-lo em cada vão momento"

Isso quer dizer que quero vivê-lo em todos os momentos, inclusive aqueles que não parecem tão importantes. São esses momentos que demonstram que o amor não subsiste somente por interesses.

"E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento"
O amor é feito de riso e de lágrimas. Um dia a gente canta de alegria, no outro a gente espalha o canto por tristeza. Amor é amor em qualquer momento. Não se baseia nas circunstâncias ou em fatores favoráveis.

"E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama"

Amo, logo existo.
Se a morte é uma certeza para todos que vivem, a busca pelo amor também é verossímil em cada ser humano. Tão angustiante quanto a morte pode ser essa busca.  Quem ama desmedidamente, também pode ficar só. Triste  e dolorosa angústia de quem vive e ama!

"Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure."

Não existe cumulação de tempo no amor. Não é possível se fazer um estoque de amor durante um tempo, para usá-lo no futuro. Amor precisa ser alimentado como uma fogueira.
Também precisa entregar-se, aquecer, ser luz.
Caso contrário, ele se apaga. E fica a escuridão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário